sábado, 14 de dezembro de 2013

Jesus é o maior presente que alguém pode receber!!

Por Que Celebramos o Natal?

A festa de Natal é uma das mais populares do mundo. Muitos aproveitam a oportunidade para dar e receber presentes, mas quem mais usufrui dessa data é o comércio, que a cada ano começa mais cedo com a decoração natalina e sugere presentes para todos os bolsos e gostos. Mas será que ainda se sabe a verdadeira razão do Natal? Quem conhece sua origem? Será que é apenas uma festa de família, um momento de celebrar laços de amor e amizade? Para muitos, o Natal significa estresse, para outros representa solidão e um tempo onde o vazio interior é percebido com mais intensidade. Será que essa festa perdeu todo o seu sentido?
Vejamos porque devemos celebrar o Natal:

O Natal é a maior alegria que um ser humano pode encontrar

Encontramos este testemunho em Mateus 2.10-11: “E, vendo eles [os magos] a estrela,alegraram-se com grande e intenso júbilo. Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe...” Ainda antes do nascimento de Jesus, Maria já exclamou: “o meu espírito se alegrouem Deus, meu Salvador” (Lc 1.47). E o anjo falou aos pastores de Belém: “Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo” (Lc 2.10).
Jesus é a luz no fim do túnel, a libertação da escravidão do pecado e a única garantia de futuro. Quem encontra Jesus é alguém que andou errante e finalmente achou o caminho de volta ao lar. E isso é motivo de intensa alegria, da maior alegria!
A desgraça do pecado é imensa, mas a alegria pela salvação em Jesus é incomparavelmente maior. Quantas vezes já sentimos grande júbilo e profundo alívio quando superamos um fracasso! Mas quando nos achegamos a Jesus, nos livramos de toda a culpa e das nuvens escuras da desesperança que pairam sobre nossa vida. Quando recebemos a Jesus, os raios do amor divino nos alcançam trazendo júbilo e alegria maiores que qualquer sofrimento, culpa ou frustração. Jesus é a luz no fim do túnel, a libertação da escravidão do pecado e a única garantia de futuro. Quem encontra Jesus é alguém que andou errante e finalmente achou o caminho de volta ao lar. E isso é motivo de intensa alegria, da maior alegria!

O Natal é a maior ação de busca e salvamento da história da humanidade!

Lemos no Evangelho de Mateus: “Ela [Maria] dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele [Jesus] salvará o seu povo dos pecados deles” (Mt 1.21). E no Evangelho de Lucas está escrito que “hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11).
Levantar a bandeira da paz, fazer marchas, passeatas e demonstrações em prol da paz igualmente será em vão. Agostinho, um dos pais da Igreja, formulou de maneira muito adequada o que traz paz ao coração: “Nosso coração fica inquieto até encontrar a paz em Ti, Senhor!”
A maior catástrofe da humanidade foi sua queda em pecado. Ela foi tão terrível que não havia outra possibilidade de salvação a não ser Jesus Cristo tornar-se homem. Deus, o Criador, tornou-se homem em Jesus e morreu por nós. Ele deu Seu sangue e Sua vida para termos o perdão. A grandeza dessa operação de salvamento manifesta a enormidade de nossa culpa e a grandiosidade do amor de Deus. Quem não consegue ou não quer crer nessa verdade é como alguém que se acidentou por sua própria culpa mas não quer aceitar ajuda de ninguém e permanece preso às ferragens do carro.

O Natal é a maior paz que podemos usufruir

A base do Natal está alicerçada na misericórdia de Deus: “graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz” (Lc 1.78-79).
Como clama por paz o nosso mundo! Os grandes e poderosos estão empenhados por ela, mas enquanto cada um, pessoalmente, não tiver paz dentro de si, o mundo continuará agitado. Trevas e sombras de morte caracterizam a imagem dos nossos dias. Todas as guerras e revoltas, todos o conflitos familiares e interpessoais são expressões da inquietação que habita em nossos corações. O grande pintor Michelângelo já dizia: “Não é a pintura nem a escultura que saciam a alma sedenta”. Todo o empenho em edificar e construir a paz não trará ao mundo essa tão esperada dádiva. Levantar a bandeira da paz, fazer marchas, passeatas e demonstrações em prol da paz igualmente será em vão. Agostinho, um dos pais da Igreja, formulou de maneira muito adequada o que traz paz ao coração: “Nosso coração fica inquieto até encontrar a paz em Ti, Senhor!” Somente Jesus poderá dirigir nossos passos pelo caminho da paz. Quem encontrou a paz com Deus através de Jesus Cristo tem uma paz inigualável no coração, e os efeitos não se farão esperar, “porque ele é a nossapaz...” (Ef 2.14) Nos campos de Belém os anjos declararam: “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem” (Lc 2.14).

O Natal é a maior esperança que alguém pode ter

Jesus é o Salvador de todos que O aceitam, e trouxe a luz da eterna esperança aos salvos. Através dEle a escuridão da alma se transforma em luz.
Segurando o menino Jesus em seus braços, o idoso Simeão louvou a Deus, dizendo: “porque os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste diante de todos os povos: luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel” (Lc 2.30-32). Ele tinha a esperança de ver o Salvador prometido, e teve o privilégio de segurá-lO em seus braços. Jesus é a esperança do mundo.
Jesus é o Salvador de todos que O aceitam, e trouxe a luz da eterna esperança aos salvos. Através dEle a escuridão da alma se transforma em luz. Quando conhecemos Jesus, nossos olhos se abrem. Sua Palavra nos proporciona tesouros espirituais inimagináveis, que Ele adquiriu para nós ao ressuscitar: vida eterna nas mansões celestiais junto de Deus, o Pai; felicidade eterna sem jamais ficarmos tristes; harmonia eterna sem a existência de pecado ou conflito; o fim do medo, da angústia, do estresse, das dúvidas e inquietações. Quem deixa Jesus guiar sua vida também poderá ver as coisas desta vida terrena a partir de outra perspectiva, de um ângulo diferente, iluminado por Deus.

Jesus é o maior presente que alguém pode receber

Por isso está escrito na Palavra de Deus: “Graças a Deus pelo seu dom [presente] inefável!” (2 Co 9.15). “O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23).
O Natal é a festa dos presentes. Gostamos de dar e de recebê-los. Mas todo presente precisa ser aceito. Ficamos decepcionados quando alguém rejeita o que preparamos e entregamos com muito amor e carinho.
Não há presente maior que o amor de Deus, que vem ao nosso encontro na pessoa de Jesus.
Não há presente maior que o amor de Deus, que vem ao nosso encontro na pessoa de Jesus. Não há esplendor maior, não há bem material, luxo terreno ou qualquer coisa que possa, de alguma forma, ser minimamente comparado ao que Jesus nos dá. Ele veio do céu à terra para nos presentear com a vida eterna. Você aceita esse presente? Ou prefere ficar enlaçado com coisas terrenas que com o tempo se vão?
Você quer receber esse presente de Deus? O presente do perdão de todos os seus pecados, o presente da vida eterna? Se você o aceitar, Jesus Cristo transformará toda a sua vida – pois para Ele tudo é possível!
O Natal pode começar a fazer sentido para você. Jesus quer se tornar a maior festa de sua vida. Ele lhe diz agora mesmo: “Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna” (Jo 4.10,13-14). (Norbert Lieth 

OBS. Sabemos que não foi no dia 25/12/,mas este dia  foi o escolhido,para que todos juntos possamos relembrar o nascimento de nosso SALVADOR!!!! 

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

compartilhando!

O PODER DA ORAÇÃO DE FÉ

Hudson Taylor falou na Conferência de Nova Iorque sobre a fonte de Poder para MISSÕES CRISTÃS e deu um exemplo do que é O PODER DA ORAÇÃO DE FÉ.
Cito, abaixo, uma boa parte do seu discurso:

"O PRÓPRIO DEUS É A GRANDE FONTE DE PODER. Além disso, o Poder de Deus é um Poder Acessível. SOMOS UM POVO SOBRENATURAL, NASCIDO DE NOVO mediante um nascimento sobrenatural, MANTIDO POR UM PODER SOBRENATURAL, sustentado com ALIMENTO ESPIRITUAL, ensinado por um PROFESSOR SOBRENATURAL através de UM LIVRO SOBRENATURAL."

Somos conduzidos por um Capitão sobrenatural em veredas retas que levam a vitórias seguras. O Salvador ressurreto, antes de subir aos céus, disse a seus discípulos:
 
"RECEBEREIS PODER, AO DESCER SOBRE VÓS O ESPÍRITO SANTO." (Atos 1:8)
 
Poucos dias mais tarde, em resposta à oração conjunta e incessante, o Espírito Santo desceu sobre eles e encheu a todos. LOUVADO SEJA DEUS, ELE CONTINUA CONOSCO.

O Poder dado não é um dom do Espírito Santo, Ele mesmo é o Poder. Hoje, ELE PERMANECE TÃO DISPONÍVEL e TÃO PODEROSO QUANTO NO DIA DE PENTECOSTES.

Mas será que a Igreja, desde os dias antes do Pentecostes, já colocou de lado qualquer outro trabalho e ficou à espera dEle por dez dias para que esse poder pudesse manifestar-se? Não houve falha neste ponto?

Temos dado muita atenção a Métodos, Maquinaria e Recursos, e pouca à fonte de Poder - O ENCHER DO ESPÍRITO SANTO.

Penso que concordarão comigo que esta é a grande fraqueza de hoje e tem sido ponto fraco.

TEMOS ORDEM DE ENCHER-NOS COM O ESPÍRITO

Se não estivermos cheios, estamos vivendo, então, em desobediência e pecado, e a causa do nosso pecado é a mesma da antiga Israel - O PECADO DA INCREDULIDADE.

AGUARDAR EM DEUS NÃO É PERDA DE TEMPO
Quero referir-me a uma pequena reunião de cerca de doze homens na qual me deram permissão para tomar parte, em novembro de 1886. Nós, da China Inland Mission, estávamos sentindo grande necessidade da orientação divina em questões de organização e reforço no campo.
Reunimo-nos antes da conferência para passar oito dias aguardando juntos em Deus, quatro dias alternados seriam dias de JEJUM e ORAÇÃO.

Fomos levados a orar por cem missionários a serem enviados pela nossa Junta Inglesa, durante 1887. Em relação ao nosso Movimento de Avanço, necessitávamos pedir US$ 50 mil a Deus, além do total do ano anterior. Fomos guiados a orar para que isto viesse em grandes quantias, a fim de que nossa equipe não ficasse muito oculpada com os agradecimentos pelas contribuições.

Qual foi o resultado?

Deus nos enviou ofertas de serviço por parte de mais de 600 homens e mulheres durante o ano seguinte, e aqueles considerados prontos e adequados foram aceitos e enviados para a China. No final do ano, exatamente cem voluntários haviam partido!

Fizemos uma reunião de ação de graças pelos homens e pelo dinheiro.

O Poder do Deus Vivo É UM PODER ACESSÍVEL

Podemos chamar por Ele no Nome de Cristo, com a segurança de que se formos ensinados pelo Espírito em nossas orações, essas orações serão respondidas.

Onde e como o segredo dessa oração de fé foi aprendido?
Teria sido um dom concedido pelo favor divino a um indivíduo escolhido, que outros não podem esperar receber? Ou seria O RESULTADO DE TREINAMENTO E PRÁTICA, A RECOMPENSA PELA FIDELIDADE EM PEQUENAS COISAS, PARA ENSINAR-NOS QUE NÓS TAMBÉM PODEMOS ANDAR PELO MESMO CAMINHO?

Foi de fato um dom, da mesma forma que toda graça é um dom de Deus concedido em medidas diferentes, segundo se agrada. Mas foi ao mesmo tempo O RESULTADO DE UMA VIDA DE PROVAÇÕES e OBEDIÊNCIA, através da qual o dom que fora apenas uma semente pequenina, oculta e inconsciente se desenvolvera. ELE CRESCEU FORTE, A FIM DE QUE TODOS OS FILHOS DE DEUS FOSSEM ENCORAJADOS A ANDAR NOS SEUS PASSOS, com a segurança de que para cada um, na sua medida, o caminho da oração que prevalece continua aberto.

Taylor aprendeu essa oração:

Alguns meses depois da minha conversão, numa tarde desocupada, retirei-me para o meu quarto, A FIM DE PASSAR O TEMPO EM COMUNHÃO COM DEUS. Lembro-me bem dessa ocasião. Na minha alegria íntima, DERRAMEI MINHA ALMA DIANTE DE DEUS. Confessei repetidamente meu amor cheio de gratidão a Ele que TUDO FIZERA POR MIM. Deus me salvara quando eu havia perdido toda a esperança e até o desejo de salvação. Eu Lhe pedi que me desse algum trabalho para fazer para Ele, como uma válvula de escape para o meu amor e gratidão: Algum serviço de autonegação, qualquer fosse ele, por mais difícil ou mais trivial que pudesse ser.

Pedi algo que O agradasse e que fosse possível fazer diretamente para Ele que fizera tanto por mim.

Lembro-me bem como me consagrei sem reservas, minha vida, meus amigos, meu tudo sobre o altar, e a profunda solenidade que invadiu minha alma com a segurança de que minha oferta fora aceita. A Presença de Deus tornou-se inefavelmente real e abençoada. Embora eu fosse um rapazinho de apenas quinze anos, lembro-me de ter-me estendido no chão e ficado ali silencioso diante dEle com reverência e alegria inexprimíveis.

Não sabia para qual serviço tinha sido aceito; mas uma profunda consciência de que não pertencia mais a mim mesmo se apossou de mim, a qual nunca mais me deixou.

Depois de alguns meses daquele episódio de consagração, senti intimamente que o Senhor me queria na China.

A CONSAGRAÇÃO é sempre o resultado de uma conversão poderosa e o SEGREDO DE UMA VIDA EM QUE O PODER DEVE SER ADQUIRIDO PELA ORAÇÃO E PELA FÉ.

Alguns se inclinam a considerar isso como um alvo e um fim em si mesmos; mas o seu verdadeiro valor consiste em ser um início: COLOCAR-SE NAS MÃOS DE DEUS, A FIM DE PREPARAR-SE PARA O SEU SERVIÇO.

É apenas a entrada numa classe superior na escola onde o próprio Deus ensina como deseja que O sirvamos.

Hudson Taylor tinha ainda muito a aprender antes de tornar-se um homem de fé que pudesse dar testemunho do que Deus pode fazer.

Ao pensar em ir para a China, ele sentiu que queria fazer isso pela fé, confiando em Deus para suprir as suas necessidades. Se ia confiar nEle na China, por que não aprender a confiar nEle na Inglaterra? O fracasso na China poderia ser fatal: Ele ia pedir a Deus que o ensinasse ainda em seu país a andar pela fé.

É necessário treinamento a sós antes de permitir que alguém se apresente em público como testemunha do poder da fé em Deus e da oração que prevalece e que faz esse poder se manifestar.
Eles nos ensinam que, se nossa obra missionária conjunta em público for reamente um trabalho em que O PODER DA ORAÇÃO DE FÉ deve ser manifestado, a fé possuída pelos crentes PRECISA TER SUAS RAÍZES PROFUNDAMENTE FIXADAS NA VERDADEIRA CONSAGRAÇÃO A DEUS e na INTEIRA DEPENDÊNCIA DO SEU GRANDE PODER OPERANDO EM NÓS.

Estamos estudando o problema missionário. Estamos buscando a resposta para a sua pergunta mais importante:

COMO A IGREJA PODE SER AVIVADA ESPIRITUALMENTE PARA FAZER DE TODO O CORAÇÃO O SEU TRABALHO, NO PODER QUE DEUS PODE DAR?

Tentamos aprender daqueles a quem Deus usou e abençoou especialmente qual o segredo da sua força. Deus enviou Hudson Taylor como um exemplo do que ELE PODE FAZER COM UM JOVEM QUE SE DEDICA INTEIRAMENTE A VIVER PELA FÉ, ENQUANTO BUSCA FAZER A OBRA DE DEUS.

O PROBLEMA MISSIONÁRIO É PESSOAL

O treinamento de Hudson Taylor para a comunhão com Deus foi intensamente pessoal. Desde que o Problema Missionário - Como Ganhar o Mundo para Deus - SÓ PODE SER RESOLVIDO PELA ENTREGA PESSOAL DE CADA CRENTE À TAREFA, podemos aprender desse servo de Deus.

É fácil dizer que a resposta consiste na ORAÇÃO DE FÉ que prevalece. Mas como pode cada crente ser treinado para isso? A lição é muito clara. Vimos o caminho pelo qual o PODER DA ORAÇÃO DE FÉ chegou até aquele servo de Deus. Ele se entregou totalmente ao trabalho de Deus; isto lhe deu a confiança de que Deus cuidaria dele e de todo seu trabalho.

A FÉ NÃO PODE FORTALECER-SE, SENÃO ATRAVÉS DO EXERCÍCIO
As dificuldades são o campo de prova da fé; elas lhe dão alimento e força. O crente que não compreende a dificuldade do trabalho missionário, por não estar intensamente interessado nele, não pode gozar do PRIVILÉGIO DA ORAÇÃO DE FÉ.

Queremos treinar todo crente a ter tamanho interesse no progresso da OBRA DO REINO DE DEUS que possa SENTIR e OUVIR o FARDO DA SUA GRANDE NECESSIDADE.

Só assim ele tem condições de perceber A IMPOSSIBILIDADE DE ELA SER FEITA SEM O PODER DE DEUS, e poder aprender a CLAMAR POR MAIS HOMENS E DINHEIRO, PELO PODER DO ESPÍRITO, e pela COLHEITA DE ALMAS.

Desejo Forte, Interesse e Esforço Pessoal, Fé no Poder de Deus Operando em Resposta à ORAÇÃO - Essas são as condições da oração que prevalece, da QUAL TODO CRENTE PODE COMPARTILHAR.

NECESSITAMOS ENCORAJAR O CRENTE MAIS SIMPLES A SABER QUE ELE PODE FAZER MUITO PELA CAUSA DE DEUS.


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O parto da girafa

“Considerai que é suma alegria, meus irmãos, quando passais por diversas provações, sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. Mas é preciso que a paciência efetue a sua obra, a fim de serdes perfeitos e íntegros, sem fraqueza alguma.”
(Tg 1,2-4).
O PARTO DA GIRAFA
Um certo dia, assistindo a um programa na TV, vi, no princípio, assustado, o parto de uma girafa.
É impressionante esse nascimento. Primeiro ela escolhe um lugar para parir e, de pé, tem seu filhotinho. Ele cai mais de 2 metros, e com muita dificuldade se levanta. Em seguida, sua mãe lhe dá um chute e ele cai, e essa cena se repete por várias vezes. O filhote se levanta e a mãe o derruba, até à hora em que ela percebe o cansaço do filhote e pára de derrubá-lo.
Enquanto isto acontecia, o narrador do programa explicava que não era intenção da girafa machucar seu filhote, mas sim, protegê-lo. São diversos os predadores que atacam a girafa, e desde o nascimento ela deve aprender que, em suas pernas e no saber se erguer quando está caída, é que está o segredo da sobrevivência.
E nós? Quantas vezes somos derrubados pelo pecado. O maligno. Não somos filhos da girafa, mas sim, filhos AMADOS de Deus.
Se você está no chão, derrubado pelas dificuldades da vida, levante e saiba que o amor de Jesus erguerá sua vida.

“Muito perto está de cair, aquele que não põe em Deus todo o seu cuidado.”

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

CUIDADO COM AS RAPOSINHAS

CUIDADO COM AS RAPOSINHAS

"Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor." (Cantares 2:15)

A palavra de Deus nos exorta a apanhar as RAPOSINHAS, não deveríamos nos preocupar com as grandes raposas, em vez de pequenas raposinhas? Não deveríamos achar que as raposinhas são pequeninas e inofensivas?

Caçar coisas grandes é fácil, porque vemo-las rapidamente, mas as coisas pequenas muitas vezes não aparecem, ficam escondidas.

As raposinhas são o único elemento negativo no cenário da primavera.

A raposa é um animal pequeno, mas causa grandes estragos, a bíblia diz que elas devastam (DESTRUIR, ARRASAR) as vinhas que estavam em FLOR (que iam começar a dar frutos, momento da fertilidade, que está por acontecer.)

As raposinhas são animais astutos (esperto), elas conseguem enganar os cães urinando para confundir o olfato deles, com isso eles se atrapalham e perdem o rastro.

As raposinhas simbolizam demônios, que por ordem de satanás querem destruir a igreja que é a vinha do Senhor.

Satanás e astuto, e ele começa a atacar a igreja com coisas PEQUENININHAS que aparentemente não causam danos.

Mas sabemos que é mentira, porque elas causam muitos estragos. Existem muitas situações que acabam invadindo as nossas vidas e a igreja, situações que às vezes não damos muita importância por serem pequeninas.

Deus quer que cada um de nós apanhe as raposinhas, está decretada a caça as raposas, e Deus tem nos dado todas as armas espirituais para vencermos todas as investidas de satanás.

 
1 – A FOFOCA: É uma raposinha, as pessoas normalmente não se incomodam com ela, muito pelo contrário acabam se envolvendo com ela. (MEXERICO, INTRIGA).
A fofoca é um veneno para a vinha, veneno estraga, mata, acaba com uma plantação. A fofoca causa aborrecimentos e inimizades - "Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo." (1 João 2:9-10)
Todas as pessoas que rodeiam o fofoqueiro só têm um objetivo: Fazer fofoca.
A fofoca mata relacionamentos - "Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele." (1 João 3:15)


2 – A CRÍTICA: (Examinar ou julgar censura, notar perfeição ou defeitos, dizer mal de, etc)

Normalmente a crítica é fruto do ciúme e da inveja.
"E ajuntaram-se a ele os fariseus, e alguns dos escribas que tinham vindo de Jerusalém. E, vendo que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar, os repreendiam. Porque os fariseus, e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes; e, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem.
E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, e os jarros, e os vasos de metal e as camas. Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar? E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, Mas o seu coração está longe de mim; em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens.
Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens; como o lavar dos jarros e dos copos; e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas. E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição." (Marcos 7:1-9)
Estavam criticando os discípulos, estavam presos às tradições e não conseguiam enxergar as coisas novas, estavam invalidando a Palavra de Deus.
- O crítico invalida a Palavra de Deus, por causa da sua cegueira espiritual.

3 – A INVEJA: Não deixa a pessoa prosperar, porque ela se concentra em possuir o que pertence à outra pessoa. Leva a pessoa ao descontentamento, nunca está satisfeita com o que possui. "Seja a vossa vida livre do amor a dinheiro e contentai-vos com o que tendes; porque Deus tem dito: De maneira alguma, te deixarei, nunca jamais te abandonarei" (Hebreus 13:5).

"Estes são os caminhos de todo o que anseia pela cobiça; ela rouba a vida dos que a possuem" (Provérbios 1:19)

"Então Absalão lhe dizia: Olha, os teus negócios são bons e retos, porém não tens quem te ouça da parte do rei. Dizia mais Absalão: Ah, quem me dera ser juiz na terra, para que viesse a mim todo o homem que tivesse demanda ou questão, para que lhe fizesse justiça! Sucedia também que, quando alguém se chegava a ele para lhe fazer reverência, ele estendia a mão e, pegando nele o beijava. E desta maneira fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo; assim furtava Absalão o coração dos homens de Israel." (2 Samuel 15:3-6) Causa divisões, fofocas, intrigas.

4 – A MURMURAÇÃO: É uma queixa é um lamento. O murmurador é aquele que se queixa de tudo. Está também sempre descontente com pessoas ou situações. É um ingrato, a ingratidão leva a murmuração. Ele murmura contra a autoridade delegada por Deus - "Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Ramá, e disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos; constitui-nos, pois, agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações. Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao SENHOR. E disse o SENHOR a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles." (1 Samuel 8:4-7)

Os murmuradores não entraram na terra prometida, não conseguiram a benção.

Temos que apanhar as raposinhas, não podemos deixar que elas devastem a vinha do Senhor.

 (Compartilhando)

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Demonstrando Misericórdia

Demonstrando Misericórdia

“…Bem aventurado os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia…”

Bom aqui estou eu novamente para propor um tema que julgo de suma importancia para nosso dia a dia, quero compartilhar com vocês algo que li há alguns dias atrás e me fascinou.


Bem exercer misericórdia não é algo muito fácil, pois sempre estamos esperando que alguém tenha por nós, mais e quando é para que nós tenhamos a misericórdia por alguém? Me parece que ela está atrelada ao perdão, e justificação de culpabilidade não é mesmo?

Pois bem, no clássico de Victor Hugo, “LES MISERABLES” (os Miseráveis) Jean Valjean, recentemente liberto da prisão, é incapaz de encontrar alimento ou abrigo por causa da desconfiança e o ódio das pessoas. Finalmente, ele bate à porta de um bondoso bispo.

Meu nome é Jean Valjean, sou um prisioneiro em liberdade condicional. Já cumpri dezenove anos na prisão. Fui liberado a quatro dias… estou pronto a pagar, não me importa quanto, pois tenho dinheiro. Encontro-me cansado, pois andei doze léguas (72 quilômetros) a pé e estou faminto. O senhor pode me hospedar…”?

O Bispo chama a “MADAME MAGLIORE” e diz: “…por favor prepare outro lugar a mesa…”

Porem, depois da grande bondade daquele bispo, Valjean roubou toda a prataria do bispo durante a noite e escapa pela janela.

Quando a policia francesa faz uma investigação de rotina sobre Valjean, descobre a prata e arrasta-o de volta à catedral, onde o bom Bispo o saúda entusiasticamente: “…Eis ai voce, estou muito feliz em lhe ver. Você se esqueceu que eu também lhe havia dados os castiçais? Eles são de prata como todo o resto e valem ao menos uns duzentos francos…”

O Bispo dispensa os policiais atônitos, coloca os castiçais na sacola de Valjean, e diz calmamente: “…Não se esqueça que você prometeu que utilizaria este dinheiro para se tornar um homem honesto…”

Depois de vinte e quatro horas, Valjean encontra-se, ajoelhado, convertido não só ao cristianismo como a um estilo de vida honesto.

A misericórdia, tal demonstrada pelo bispo de Victor Hugo, tem grande poder sobre a vida das pessoas. Como muitas das outras atitudes e qualidades que Cristo ordenou nas bem-aventuranças tais como: Mansidão; Pobreza espiritual; Pureza de coração.

A misericórdia ela é enganosa; ela freqüentemente é interpretada como fraqueza, em vez de força, mais é preciso ser muito forte para ser misericordioso. Apesar disto, ela é incapaz de transformar vidas.

John Stott define a misericórdia como: “COMPAIXÃO PELAS PESSOAS EM NECESSIDADE”. The Expositor’s Bible Commentary, ele explica que misericórdia engloba tanto o perdão para os culpados como a compaixão pelos que sofrem e passam necessidades. Em sua exposição sobre o SERMÃO DA MONTANHA, James Montgomery Boice escreve: “…Misericórdia é o amor que se estende para ajudar os desamparados que precisam de salvação. A misericórdia identifica-se com os miseráveis em sua miséria…”

Eu gosto de dividir a palavra Misericórdia em duas partes: MISERI que me lembra Miséria ou despojamento, ou ainda, esvaziamento e nada; e CÓRDIA: que me lembra cárdia, coração, portanto misericórdia para mim é antes de mais nada a miséria do coração, é necessário um coração miserável, no sentido de não possuir avareza, ganância, lascívia e tantos males que trazem prejuízos ao ser humano para que o homem verdadeiramente possa amar o seu próximo, é impossível cumprir as Sagradas Letras que diz: “…amaras o seu próximo como a se mesmo…” se o seu coração não estiver miseravelmente vazio para as paixões deste mundo, nossos corações devem sim estar cheios, porem de alegria, amor e principalmente compaixão para com o próximo.

A misericórdia é um atributo tanto real como divino, como Shakespeare nos mostra em “ O MERCADO DE VENEZA”
“…A qualidade da misericórdia não é forçada;
Ela cai do céu como chuva suave
Sobre o local abaixo dela. É duplamente abençoada:
Abençoa ao que dá e ao que recebe.
É a força maior dos mais fortes.
Faz do monarca entronado melhor que sua coroa.
É um atributo do próprio Deus,
E o poder terreno mostra-se parecido ao do Todo-Poderoso, quando amisericordia tempera a justiça. Portanto…
Ainda que a justiça seja o teu pleito, considera isto:
No curso da justiça nenhum de nós
Deveria ver salvação. Rogamos por misericórdia,
E o mesmo rogo ensina-nos a todos que rendamos
A atos de misericórdia…”

Para o cristão, a misericórdia não deve ser uma opção – é uma necessidade e obrigação: contamos com a misericórdia de Deus, como Shakespeare mostrou-nos, para a nossa salvação. Devemos ser misericordiosos como é misericordioso nosso Pai. Se quisermos receber misericórdia devemos estar dispostos a dá-la. E, diz-se que Deus não deseja que sigamos regras e leis farisaicas, mais, ao invés, quer misericórdia, justiça e humilde comunhão com Ele.

“…Bem aventurados os misericordiosos…” na verdade.

Minha esperança é que você seja convencido a ser misericordioso e que exerça este importante ato a começar comigo; pois nossos corações devem estar cheios de misericórdia se quisermos agradar ao Deus misericordioso.

Deus os abençoe ricamente



 Pr. Dr. Wagner Teruel

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Jesus, o Deus dos rejeitados,,


Perolas" Diarias
"Senhor, tu sabes todas as cousas, tu sabes que eu te amo." João 21.17
Jesus também ajuda os desqualificados, quer dizer, aqueles que se sentem jogados no caminho da morte. Pedro foi um destes desqualificados. Ele havia fracassado miseravelmente negando seu Senhor com um juramento diante das perguntas de uma serva. Quando, depois da ressurreição de Jesus, ele disse aos seus co-discípulos: "Vou pescar...", reconhece-se a sua resignação, pois, em outras palavras, ele estava dizendo: "Não adianta nada, eu fracassei no meu discipulado!" Ele se sentiu posto de lado, se sentiu um fracassado. Mas até na sua antiga profissão não havia mais bênção, pois lemos no fim do mesmo versículo: "...e naquela noite nada apanharam." Naquele momento, ele se sentiu totalmente posto de lado. Mas Jesus ajuda aos que foram postos de lado, aos desqualificados: "Mas ao clarear da madrugada, estava Jesus na praia." E sabemos como Ele ajudou ao encalhado Pedro: Jesus tocou naquele ponto do seu íntimo que fez com que Pedro exclamasse do fundo do seu coração: "Senhor, tu sabes todas as cousas, tu sabes que eu te amo." E com você, também tudo, simplesmente tudo falhou, tudo foi mal? Só Jesus pode lhe ajudar, e Ele quer lhe ajudar neste instante!



Lembramos     de Raabe a prostituta.
Rute a estrangera.
José do Egito o escravo.
Saulo, o perseguidor
Lá  no começo Moisés o fugitivo.
Zaqueu o publicano.
Maria Magdalena, a endemoniada,
 Isto  sem falar de  muitos outros, como  Davi e Gedeão, que era os menores de suas famílias.
E Deus os colocou em lugares de honra.
I aos Corintios 1;27-28.



sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Desafio Jovem Metropolitano Em Paulinia
24/08/ 2013 Sabado
Agradeço aos pastores, e a todos que prestigiaram  este evento, Deus os abençoe!!













quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A Parábola da Figueira estéril ,compartilhando1

Palavra de Deus-A Parábola da Figueira estéril.



"E dizia Jesus esta parábola: Um certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha, e foi procurar nela fruto, não o achando;
E disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o acho. Corta-a; por que ocupa ainda a terra inutilmente? 
E, respondendo ele, disse-lhe: Senhor, deixa-a este ano, até que eu a escave e a esterque;  
E, se der fruto, ficará e, se não, depois a mandarás cortar."
Lucas 13:6-9

Muitas vezes o Senhor vem procurar frutos em nós e não encontra.
Ainda estamos da mesma forma de quando aceitamos a fé e o nosso amado Salvador. Onde estão os frutos de arrependimento? 

O Espírito Santo está sempre nos falando ao coração: isso está errado...e nós fingimos que não estamos escutando. E de novo ele nos lembra que é necessário uma mudança, e nós mais uma vez deixamos para depois, como se não fosse importante. 
E se de repente ele resolve nos cortar? pois é, não estamos dando frutos, 
não estamos deixando as coisas do mundo, vamos indo conforme o mundo vai, nossa boca não fala o que edifica, nosso corpo anda de qualquer modo, não amamos nosso próximo, não temos dado bom testemunho...
Olha o machado posto à raiz da árvore!

A Palavra, em Lucas 3:7,8,9 diz:
"Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir? 
Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão.  
E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo."

Vamos levar a sério nossa vida com Deus, nos achegarmos mais a ele, termos mais intimidade com nosso Pai, consultarmos a ele sobre TUDO em nossa vida, perguntarmos se o estamos desagradando em alguma área de nossa vida, se o amamos de verdade temos que produzir frutos pois se isso não acontecer seremos cortados e queimados no fogo.

Bia
compartilhando,,,

terça-feira, 16 de julho de 2013

Bodas de Ouro - Pr Anisio e Ev Dalva

Agradecemos a todos os irmãos, amigos e filhos que estiveram conosco nesse momento de agradecimento à Deus por esta data em que comemoramos os 50 anos de nosso casamento e também os mais de 50 anos nos caminhos do Senhor. Também agradecemos aos que não puderam vir mas que ficaram orando por nós. Que Deus abençoe todos, amém. Ev. Dalva e Pr. Anísio.














segunda-feira, 8 de julho de 2013

Comemoração de bodas de outro do Pastor e aniversário de 13 anos da igreja




Prezados Pastores, que a Santa Paz de nosso Senhor Jesus reine em vosso coração de sua família e Igreja.

Chegamos ao 13º aniversário de A Igreja de Deus no Brasil em Paulínia. Portanto estamos em festa e sentiremos honrados com sua participação.


Data
Hora
 
Comemoração
Preletores
13/07/2013 – Sábado

14/07/2013 – Domingo
18:00 as 22:00

14:00
Bodas de ouro Pr . Anisio e Ev. Dalva

Aniversário Igreja

A confirmar


Tema: O qual vos confirmará também até ao fim para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo
I Corintios 1:8





Pastor Anísio Ferreira de Abreu
Evangelista Dalva Polycarpo de Abreu

Fone: (19) 3854-2821 ou 9147-1581

quinta-feira, 4 de julho de 2013

DJM em Paulinia

DJM em Paulinia

Pessoal, tá confirmado! 
Próximo DJM vai ser dia 24/08 em Paulinia

TÁ PRECISANDO DE INJEÇÃO ESPIRITUAL?????

ENTÃO NÃO PERCA!!!

Todos São bem vindos!!!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

"PEROLAS DIÁRIAS" lutar pela Fé!


"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam." 1 Coríntios 2.9


O que nos trará o primeiro dia na eternidade? Se juntos quisermos analisar esse ponto, só ficaremos com suposições. Mas a Bíblia nos diz algo bem concreto, ou seja: "...havemos de vê-lo como ele é." Embora sintamos neste mundo a presença de Deus, mesmo que experimentemos Sua ajuda, Sua bondade e amor, nunca O vemos como Ele de fato é. Vê-lO será indescritível glória! Não pense que Jesus é como você O experimentou, pois Ele é infinitamente mais glorioso, maior e mais excelso. Nossa luta maior nesta época é – pela fé – poder entrar nesse descanso glorioso. Não esqueçamos que o primeiro dia do homem aqui sobre a terra foi um dia de descanso. Depois veio a inquietação do pecado, e eis que Deus criou um novo descanso, e isto por meio de Jesus Cristo. O primeiro dia na eternidade será descanso glorioso por meio de Jesus Cristo para todos aqueles que foram salvos por meio da obra de Jesus consumada na cruz do Calvário!



Atos 2;37-38 Este é o caminho!!

segunda-feira, 17 de junho de 2013

O PODER DO AMOR!!

O que pode o amor

O amor é o maior argumento do Cristianismo. Há também outras características. Mas o amor é a mais expressiva.
O jornal suíço 20 Minuten publicou um relato sob o título “O salva-vidas da rocha da morte”:
Don Ritchie tem 84 anos de idade. Há quase 50 anos ele mora ao lado de uma rocha apelidada de “The Gap” [“A Fenda”]. Este lugar é muito conhecido em Sydney (Austrália), e não só pela vista que se tem do topo. “The Gap” é considerado um ímã para pessoas cansadas da vida. De acordo com o site express.de, a cada ano cerca de 50 pessoas se lançam para a morte dessa rocha às portas da casa de Ritchie. (...) É claro que o aposentado não deixa que isto aconteça tão facilmente. Sempre que vê um possível candidato à morte, ele calça seus sapatos e caminha os poucos passos até a rocha. Sua tática, de sorrir para a pessoa e convidá-la para tomar um chá, já funcionou cerca de 160 vezes nos últimos 50 anos. Mesmo assim, Ritchie não se considera um herói. “Vi mais gente saltando do que consegui salvar”, lamenta. Mas ele continua tentando.[1]
Este homem não aborda os candidatos ao suicídio com placas de advertência, gritos ou ameaças, mas com um sorriso, uma xícara de chá e algumas palavras de simpatia e conforto. Em todos os tempos, a arma mais poderosa contra a morte e a destruição foi o amor. Jesus nos deu o exemplo: “Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim” (Jo 13.1). Ele, que se tornou nosso Salvador na rocha da morte chamada Gólgota, deixou-nos uma tarefa clara: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo 13.35).
Todos as religiões têm suas características: símbolos, regras, comportamentos, cerimônias, vestimentas, normas, templos, mensagens. A Igreja de Jesus carrega a marca do amor, que é, de longe, a mais expressiva.
Aparentemente o amor era o assunto que mais importava a Jesus em Suas mensagens de despedida antes do Seu calvário. O amor é o maior argumento do Cristianismo; ele tem o maior poder de penetração e de convencimento, e é uma arma de que nenhuma outra religião ou ideologia dispõe.
Amar não significa que aceitamos ou toleramos o pecado, mas a rejeição é algo que muitas pessoas já experimentam excessivamente. O que conseguiríamos, por exemplo, se demonstrássemos, aos nossos vizinhos, colegas de trabalho e demais pessoas, não uma piedade fria e distante, mas os convidássemos para um café? Muitos corações endurecidos, que antes gelavam ainda mais diante de palavras piedosas, já derreteram sob este amor. (Norbert Lieth 

domingo, 16 de junho de 2013

Este fim de semana 7-8 de Junho, foi muito especial para nós de a A.I.D.B. de Paulínia tivemos a visita de nosso Bispo Adan  e sua esposa Missionaria Heidi, que foi para nós uma grande benção, na sexta feira  estivemos na congregação no sitio  em Mogi mirim,visitando nossos queridos Irmãos e também levamos a Ceia para Eles,o Bispo nos trouxe uma mensagem poderosa cheia de unção, ao termino,o Bispo fez o chamado ao altar, e duas Almas se renderam aos pés do Senhor.
No sábado dia 8 foi a vez de Paulínia.
Fomos duplamente abençoados, Deus estava presente,e depois de ouvirmos a Missionaria, o Bispo nos trouxe uma mensagem, maravilhosa e cheia de poder. e toda a Igreja foi abençoada.
E logo após o termino do culto, a Ev. Dalva e a Obreira Maria do Carmo  nos serviram um belisimo jantar.
Foi uma comunhão muito gostosa, e que Deus nos ajude que esta comunhão nunca falte para nós.
Pastor Anísio.